Warning: A non-numeric value encountered in /home/luizacolman/www/wp/wp-content/themes/Divi-2-6-4/functions.php on line 5752

Já aconteceu de uma pessoa estar muito interessada em você. Ficar em cima, demonstrar um super interesse. E você, no começo, não estar muito afim. Então, na medida que você vai conhecendo essa pessoa, você começa a gostar dela, desarma e também passa a demonstra interesse, ou começa a se envolver realmente.

A questão confusa é: quando isso começa a acontecer, a pessoa que antes se mostrava mega disposta, simplesmente perde o interesse em você. A sensação é que o jogo virou e você nem sabe como. E no final, você acaba frustrada e/ou sofrendo por um cara que você nem queria tanto assim.   (Já viram isso e algum lugar? Eu já!!! Muitas vezes!)

Ou, ainda, no começo do relacionamento ele era louco por você, mas agora você percebe que é você que arrasta a relação e não o vê tão interessado como no começo?

Essas situações nas relações amorosas geralmente nos deixam sem entender o que de fato aconteceu. Essa confusão pode acontecer no começo, no meio, e no final da relação.

Existem algumas hipóteses para compreender porque se vive repetidamente situações como essa:

  1. Você estava se relacionado com um conquistador (Alguém que gosta da conquista e, quando a consegue, perde o interesse.) Se for esse o caso, fique tranquila! Na verdade melhor para você, conquistadores costumam ser péssimos parceiros e geralmente costumam ser infiéis.
  2. Acontece algo com você, principalmente quando você começa a ter sentimento pelo outro, que faz com que a pessoas perca o interesse que antes de fato tinha. (É aqui que você tem que se preocupar!!!)

Alguns comportamentos provocam sentimentos muito ruins no outro como medo, desconfiança, sufocamento, tédio. E, com esses sentimentos, a pessoa vai desencantado.

Veja alguns comportamento que podem deixar você pouco interessante para um relacionamento amoroso:

  • Baixa autoestima: algumas pessoas estão com a autoestima tão baixa que acabam se diminuindo não só frente ao outro mas PARA o outro. Fazem comentários depreciativos sobre si mesmas. E deixam claro para o outro que acreditam não merece-lo. É realmente cansativo ter que ficar reafirmando repetidamente alguém muito inseguro. Comportamentos como esse são vistos como “broxantes” e te colocam numa posição de coitada. Cuidado!
  • Insegurança: a insegurança é percebida pelo outro de várias formas, mas principalmente via ansiedade. Pessoas inseguras costuma ser muito ansiosas nos relacionamento e desenvolvem um medo imenso de perder o outro. (Olha que as vezes ela mal conhece a pessoa). Esse medo facilita ações por impulsividade, e o resultado geralmente não é nada bom!!! Se você não acredita em você, porque o outro acreditaria?
  • Excesso de Disponibilidade: para começar e manter um relacionamento é sim importante ter disponibilidade para o outro, mas é necessário ter um certo limite para isso. É muito comum abrir-se mão da própria rotina, trabalho, amigos ou de atividades prazerosas para ficar em função do outro. Acredita-se que, com isso, que o outro aprecie o seu companheirismo.  Infelizmente, não funciona assim!!! (Aliás, não mesmo!). Abrir mão de si mesma, e colocar o outro no centro da sua vida é sinal claro de dependência. E veja bem, dependência é algo que espanta as pessoas!!(Especialmente homens!!)
  • Carência: Dependência e carência costumam andar juntas e formam a “dupla do mal” no quesito espantar pessoas. Essa necessidade de afeto muitas vezes faz você exigir uma atenção que outro não está disposto ou não quer dar naquele momento. Inclusive, o pior momento para se entrar em um relacionamento amoroso é quando se está carente, porque isso faz você escolher muito mal as pessoas com quem se relacionam. (Fica a dica!!!)
  • Controle: quando se junta insegurança, baixa autoestima, e carência, o medo e a ansiedade nos relacionamentos alcançam níveis extremamente intensos. (Algumas pessoas chegam a ter crise ansiedade!) Para diminuir um pouco esse mal estar, algumas pessoas começam controlar os passos do outro como forma de se sentirem um pouco mais seguras. Na verdade, isso é uma pseudo-segurança, porque ninguém efetivamente controla ninguém. Vigiar o whatsup (principalmente a última visualização), o tempo de resposta as mensagens, as curtidas que o outro recebe no facebook, os lugares que ele frequenta, com quem ele anda e conversa, quem começa a segui-lo. (Isso vira uma paranoia!!) Ligar dez vezes por dia para saber onde ele está não é sinal de que se importa! É sinal de controle. E as pessoas ODEIAM se sentirem controladas!!
  • Tentar agradar demais: quando gostamos de alguém é comum querer agradá-lo. Mas, assim como a disponibilidade, precisa ter limites! Agradar o outro a ponto de se sacrificar por ele é mal negócio. Primeiramente, porque você passa a se anular e o outro percebe. Quando você se anula, você perde a espontaneidade e autenticidade que fizeram a pessoa se interessar por você. Resultado: a pessoa perde o interesse. Manter-se fiel a quem se é, a sua essência, é fundamental! Se você muda em função da relação, o interesse do outro por você também muda. E geralmente acaba! Além disso, agradar demais pode provocar culpa no outro, e fazer com que ele se sinta manipulado. Ao perceber isso, o outro reage com raiva, o que resulta em afastamento.

É interessante notar que, alguma pessoas, só desenvolvem esse comportamento quando estão envolvidas. Quando não estão, são autênticas, vivas, seguras. Mas é só se apaixonar que se tornam o poço da insegurança e acabam boicotando seus relacionamentos.

O objetivo desse texto não é que você finja ser o que você não é, ou negue sentir o que você sente. Até porque, você pode disfarçar no começo, mas ao longo da relação, com a convivências, as pessoas se revelam. (Além de ser extremamente cansativo ter que fingir!) E, infelizmente, o efeito é o mesmo.

Se você se identifica com os comportamento aqui relatados veja como pode transforma-los. Quando falo de transformação me refiro a mudança interior. De que forma você pode investir na sua autoestima e na sua segurança pessoal?

Um dos ingredientes essenciais para relacionamentos amorosos bem sucedidos é ter saúde e equilíbrio emocional. É se sentir bem sendo quem se é. Isso é possível alcançar sozinho ou com ajuda profissional. Mas é necessário investimento!!!

Afinal, não tem nada mais atraente e encantador do que alguém que ama a si mesmo e reconhece seu próprio valor! Não acham?